Autorretrato em Aiuruoca, 2015

Autorretrato na Estação Sino da Paz

em Aiuruoca-MG, 2015

Lara Lima é uma curiosa incansável, tudo que envolve a vida e a arte é de seu interesse. Bacharela em Artes Cênicas (EBA-UFRJ), passou pelo curso de Design de Moda e o Tecnólogo em Produção de Vestuário (SENAI-CETIQT), em uma exploração aprofundada de seus interesses, mas foi na fotografia que encontrou sua forma preferida de expressão artística. Colaborou com a produção de curta-metragens, realizando fotografia de still e direção de fotografia, operou câmera para video-clipes, produziou videos experimentais para o teatro e realizou ensaios em diversas áreas da fotografia comercial e documental.

 

Desde o inicio, dedica-se à produção de autorretratos, que atravessam todas suas experiências, sendo uma prática constante sob diversas abordagens. Hora como auto-representação, hora como afirmação de seu lugar no mundo, e ultimamente, tomando uma forma de experimentação da tecnica e tensão dos conflitos sociais que se expressam em seu corpo.

Após junho de 2013, muda-se para Aiuruoca, MG, onde experimenta uma outra forma de vida fora do centro. Vivendo junto à Estação Sino da Paz, realiza um largo registro fotográfico da natureza, em uma imersão nesta nova forma de viver.

Ali entende o significado da vida como arte, através das histórias que culminaram na construção do Sino e a experiência de vida de seus criadores. Tendo a oportunidade de fotografar a memória daquele local, desenvolvendo laços de afeto através da fotografia e da convivência diária.

 

A partir de 2015, de volta ao Rio de Janeiro, passa a realizar coberturas fotográficas de manifestações de rua, especialmente do movimento feminista, explorando uma visão interna do movimento, desde sua construção, disponibilizando seu trabalho para comunicação dos coletivos que constrói, passando a colaborar em 2017 com o Portal Esquerda Online até os dias atuais.

Nos últimos anos vem se dedicado ao estudo da arte contemporânea através de cursos no Parque Lage, Atelier da Imagem e da Plataforma de Emergência no CMAHO, também concluiu a pós-graduação em Metodologia do Ensino da Arte (UNICESUMAR) e participou de algumas exposições com fotografias, video-arte e trabalhos em outros meios como a instalação e o bordado. Utilizando a arte como ferramenta de investigação e experimentação de outras maneiras de viver, lutar e estar no mundo.

Exposições coletivas

2021

2021

2019-2020

2019

2019

2019

Janela da Distopia- exposição virtual 

Obras primas: onde as saudades se encontram - exposição virtual contemplada pela Lei Aldir Balnc

Ingajá - Museu do Ingá, Niterói, RJ (baixar catálogo)

Arte e contingência - Espaço Apis, Rio de Janeiro, RJ

Abraço coletivo, Atelier 397, São Paulo, SP

Salão vermelho das artes degenerads - Atelier Sanitário, Rio de Janeiro, RJ

Curadoria

2019 - 2020

50 anos de Stonewall e os direitos da população LGBTQ+ no Brasil - Espaço Memória, arte e sociedade Jessie Jane Vieira de Souza, Rio de Janeiro, RJ

2019

Exposição Íris - Atelier Sanitário, Rio de Janeiro, RJ